A morte carrega a liberdade

Nesse post veremos uma história metade alternativa e metade da obra sobre a personagem Bertoleza, sabendo que a mesmo era escrava e negra, o que na época era algo desprezível, tanto um quanto o outro, e nesse texto mostraremos como foi esse pouco da vida de Bertoleza:

o-cortio-5-638

Bertoleza, uma moça guerreira, forte e que ajudou a alavancar o sucesso de João Romão e se viu no fim das contas descartada pelo próprio. A tão sonhada liberdade só veio literalmente após a morte, pois sua vida desde a infância sempre foi muito sofrida. Quando nasceu seu pai não estava mais vivo que pelo excesso de trabalho acabou morrendo e com a mãe mal teve contato pois aos 6 anos foi passada para as mãos de outro proprietário onde ficou até conhecer e ficar com Romão. A pobre mulher passou a infância toda sendo humilhada com o Determinismo exposto e empregado em suas costas. Para alcançar a liberdade tinha que pagar por ela. Depois de anos conheceu um senhor português no qual manteve uma boa relação mas esse senhor veio a falecer em um acidente. O tempo passou e Bertoleza conheceu um homem que era exatamente João Romão no qual foi viver junto, com um documento de alforria que fora forjado pelo mesmo. Mal sabia que continuaria a sofrer mais tarde é que acabaria se suicidando por cair nas mãos gananciosas de João. Mas até ai sempre se dedicava cada vez mais em sua quitanda, e como amava João Romão, que sempre a explorava, continuava a obedecê-lo. E no final ele, mostrou sua verdadeira face, denunciando-a à seus donos.


Esperamos que tenham gostado e até a próxima postagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s